segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Musicoterapia!

Olhando a programação do congresso hoje vi o tanto de trabalho com o tema 'Musicoterapia'. Fiquei pensando como eu me sairia em uma terapia dessa... Depois, absorta em meu desassossego, esqueci da tal terapia.
Então, a seguinte situação me aparece: hoje a tarde com milhões de coisas pra resolver e meu sono estava imperando em minha mente. Mal conseguia raciocinar! Desse jeito mesmo, lá fui eu de volta às mil da UFMA, morta de mal humorada (sono=mau humor)! A cada sinal, congestionamento, lá ia o carro para 'ponto-morto+freio-de-mão=tolerância zero comigo mesma'.
Então tive a idéia de ouvir as músicas que tinham em meu pen drive (...)passei Stacie Orrico, Elas cantam Roberto, Victor Léo, Norah Jones, Cláudia Leite e, enfim, uma introdução silenciosa começou a tocar... fiquei mecanicamente escutando enquanto meu pensamento ia longe.
De repente ... "7:15 eu acordo E começo a me lembrar do que ainda não me esqueci, do que tenho pra falar. Todo dia é assim: Tempo quente, pé na estrada. Tô seguindo o meu caminho, já parti pro tudo ou nada. Será que todo dia vai ser sempre assim? Será que todo dia vai ser sempre assim?". HAHAHAHAHAHHAHAAHAHAHAHHA Essa foi minha reação! Sorri! Sorri do meu próprio mau humor. (Enquanto isso: "Quero iniciativa e um pouco de humor pra peleja da minha vida. Ser feliz, se assim for. Tô correndo contra o tempo e agora não posso parar. Por favor, espere a sua vez, certamente ela virá") Transferência total com a música! 2ª reação: aumentar o som! 3ª reação: cantar allltoooooo "Nessa horas, eu me lembro com saudades de você dos amigos que eu ainda não fiz e de tudo que ainda há. Tô fazendo a minha história e sei que posso contar com essa fé que ainda me faz otimista até demais: Que bom que todo dia vai ser sempre assim! Que bom que todo dia vai ser sempre assim!"
Pronto! Caso encerrado! Oops. (nananinanão) Em algumas terapias após a intervenção vem o 'follow up' e foi isso. O follow up dizia o seguinte "Vivemos esperando dias melhores, dias de paz, dias a mais, dias que não deixaremos para trás (...) Vivemos esperando o dia em que seremos melhores, melhores no amor, melhores na dor, melhores em tudo (...) Vivemos esperando o dia em que seremos para sempre. Vivemos esperando (...) Dias melhores pra sempre (Pra sempre!)"
Lalálálá... Resumindo: cheguei na UFMA 'sorrindo-da-silva', sem ressentimentos. Acho até que dá até pra apresentar um relato de 'auto-caso' no próximo congresso HAHAHAHAHAHA.
That's it! Curtam 'musicoterapia', sempre!

2 comentários:

  1. Hahaha. Nada melhor que musicoterapia mesmo.
    Ainda bem que tu não ouviste aquela louca da Marília Pera cantando "Eu vou sem saber pra onde, nem quando vou parar... Não, não deixo marcas no caminho pra não saber voltaar! As vezes sinto que o mundo se esqueceu de miiiiiim, não, não sei por quanto tempo ainda vou viver assiiiiiiiiiiiiiiiiiiim". Hahahaha.
    A musicoterapia ia ter efeitos contrários, hehehe.

    Beijo.

    J.

    ResponderExcluir
  2. Ei, to postando no teu blog de São Luís!
    Foi mal!

    ResponderExcluir