quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Originalidade.

Odeio cópias!
Que me copiem, que me plagiem
Com tanto asco viro até poeta

Oh povinho sem estilo.
Adora seguir isso
Aquilo
Até que acham a semelhança perfeita
E pronto!
Grudam.

Joguinho aqui e ali.
Arrgghh
Asco de novo
Sempre uma vantagem

Exibição reina.
Patentea a massa
Não
Patentea (...)*

Lalalalala
cópia
cópia
cópia

Tradução?

O Aurélio diz
Mas trarei o antônimo!

O.R.I.G.I.N.A.L.I.D.A.D.E
Que provém da origem
O que tem caráter próprio
Que não imita
Novo

Maybe you have to
Take a breath
and
Live
Experience
Allow yourself
And finally
(...)
You'll have more bag
To build your own
Than you'll satisfied in you soul
Having such perfect each moment
Not just something lost in a evening past

And so... it's
(Just get something off one's chest)

Um comentário:

  1. Gostei, Mai. Adoro aflições sinceras poemizadas!
    que legal te ver no meu brógui. =)
    Já te favoritei por aqui tbm!
    Beijao, lindona!

    ResponderExcluir