sábado, 17 de outubro de 2009

Far away

Nessas horas queria que meu blog fosse só meu... falar em silêncio é chato.
Medir palavras, encontrar sinônimos, podar a linguagem.
Enfim, vim falar em silêncio.
Lábios serrados, sem palavras, respiração pouca, coração apertado... angústia.
Angústia do não dito, do não explicado, do imposto, do desconsiderado.
O que vc sente quando alguém quebra um trato!?
Pra mim, então, sobra o silêncio, a angústia, a raiva, as lágrimas, a solidão, a ausência.
Nascem pensamentos de momento que fazem todo sentido.
Os olhos são abertos para o não visto.
A mente para o que não se quer acreditar.
Um misto de raiva, angústia, decepção...
Entendo minha vontade de estar tão longe, tão afastada, tão despreendida...
Algumas pessoas precisam de distância... acho que eu preciso sempre.
Estar em um lugar que não conheço ninguém, onde não preciso dialogar, onde desconheçam de mim, sem envolvimentos... i need keep away, so far away.
Away...
awa...
aw...
a...
....

Um comentário:

  1. Um amigo que sofre sozinho ofende o outro.
    Mas... silêncios e distâncias são necessários em seus tempos.
    Que sejam tempos esclarecedores.
    Que sejam tempos que te falem.
    Que sejam tempos que te aproximem.
    Que seja o teu tempo.
    (not so far away, please...)

    ResponderExcluir