sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Ainda sobre a 'fada-azul': A. I.

Esse filme me traz muitas questões. A cada vez que me ponho a pensar sobre ele e revejo algumas cenas novos questionamentos e despertares me alcançam. Incrível a forma como nosso desejo nos move para realização do inatingível. Nos alimenta a esperança fazendo-nos ficar, como no filme, vidrados diante da nossa 'fada-azul' por minutos, horas, anos, milênios!
A 'fada-azul' pra mim é o outro em quem depositamos a esperança da cura, da transformação... Fico pensando: O que seríamos de nós sem essa esperança?
Ainda que alguns desejos sejam plenamente inatingíveis (o nosso de completude, por exemplo) são eles que nos movem para o mais além. É o que eu chamo de "mais além da vida diária"... a incessante busca do que nos falta. A do David era a necessidade de ser humano. E as nossas?
Serão os robôs também marcados pela falta? Será a falta de humanidade? Só consigo pensar em uma coisa: o David demandava amor e, como todo nós, ao final, "pela primeira vez em sua vida, ele foi para o lugar onde nascem os sonhos"...

Nenhum comentário:

Postar um comentário